A «Evangelli Gaudium» do Papa Francisco e a saída do "mundanismo espiritual"

EG SmallEvangelliGaudium é o primeiro escrito oficial do papa Francisco, promulgada em 24 de novembro de 2013, no dia da solenidade de Cristo Rei. É um documento de teologia pastoral ou teologia prática, com um sentido pragmático, exortativo e persuasivo. A linguagem utilizada é simples, pois Francisco opta pela «gramática da simplicidade», para que seja acessível a todos. Destina-se a toda a Igreja, «aos bispos, aos presbíteros e diáconos, às pessoas consagradas e aos fiéis leigos». Trata-se de uma exortação pós-sinodal, estabelece continuidade com a eclesiologia do Vaticano II e tem o objetivo de se dirigir «aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos» (EG1).

Apesar de estarmos diante um documento de teologia pática, Francisco não deixa de tocar a dimensão espirtual. Neste sentido, o Papa argentino alerta para o mundanismo espirtual, que se esconde por trás do poder, da vida demasiado ativa, da vanglória e obessão pela aparência. Como solução, o Papa aponta para o paradigma de uma «Igreja em saída» (EG 20). Com o objetivo de tornar a Igreja «com – forme o Evangelho», isto é, um «lugar da misericórdia gratuita, onde todos possam sentir-se acolhidos, amados, perdoados e animados a viverem segundo a vida boa do Evangelho» (EG 114).

 

  • Visualizações: 207