II Domingo comum (C)

UM DEUS FESTIVO2 COMUM C

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Jo 2, 1-11.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

É o início da vida pública de Jesus, no Evangelho de João. Alertado pela sua mãe, Jesus transforma água em vinho, salvando a festa e firmando a fé dos seus discípulos.

2. O que me diz Deus
- Imagino-me testemunha do que acontece nesta boda. Que sinto?
O Evangelho de João não fala de milagres, mas em sinais, apontando algo mais profundo. Na Bíblia, o vinho simboliza a alegria da festa, a aliança do amor. Sua falta denuncia termo, separação e vazio. A água nas talhas, para a purificação, representa a antiga Lei que Jesus muda em vinho novo da Boa Nova. O chefe de mesa não sabe “de onde” vem, questão transversal em S. João. E eu!? Em Jesus encontro vida plena. Ele alegra meu coração. Cabe-me oferecer a vida, mesmo pobre e limitada. Será Ele a transformá-la, para o bem de muitos.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, falta vinho e só tenho água. No mundo, na vida, em mim mesmo, carece fé, esperança, amor… De horizonte obscurecido, perco a alegria. Vagueio, como se não soubesse onde buscá-la… quando até sei.
Por isso, Te invoco e convido à mesa da minha vida. Faz dela boda, convívio para muitos irmãos, acolhidos e sedentos, como eu. Não seja eu como o chefe de mesa que se admira ao provar do teu vinho, mas não Te procura. De tão habituado a Ti, posso deixar de reparar que és Tu quem tempera minha existência.
Esteja eu, pois, atento às palavras que Maria me confia como testamento espiritual: “Fazer tudo o que disseres”. Não me pedes o “vinho” que não tenho ou não posso. Mas esperas toda a “água” que em mim estagna... para transformá-la, em fonte.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, conTigo, minha vida se transforma em festa e meus passos em dança. Por isso Te agradeço, louvo, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- É possível seguir Jesus sem alegria e amor?
- Encontro em Jesus e no seu Evangelho a fonte de alegria?
- O que faço e a quem recorro quando me faltam ânimo e fé?

UM PENSAMENTO
“A partilha de amor começa na família, nas vossas próprias casas… Os trabalhos de amor são trabalhos de paz.” (Santa Teresa de Calcutá)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de saber onde procurar a verdadeira alegria.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Por onde se esconde a vida
com saber mas sem sabor
à deriva e sem estremecer
de frio, fome ou júbilo?
Onde prover as talhas
de sede desguarnecidas
sem passar do espanto
ao encanto, ao provar
teu frutado vinho novo?

É na superabundância
da tua alegria brindada
transmutando-me a vida
em festejada boda
onde todos tomam lugar
e onde Te acho a Ti
meu conviva anfitrião.

UMA CANÇÃO
Hillsong Worship – New Wine

Podcast:

  • Visualizações: 500