XVI Domingo comum (C)

A HOSPITALIDADE DA ESCUTA16 COMUM C

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Lc 10, 38-42.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Duas irmãs acolhem Jesus em sua casa. Marta atarefa-se enquanto Maria, sentada aos pés do Mestre, escuta-O. Segundo Jesus, esta é a “coisa necessária”, “a melhor parte”.

2. O que me diz Deus
- Imagino-me presente na casa de Marta e Maria. Vejo e ouço. Que sinto?
Marta, ao desejar acolher bem seu ilustre hóspede, faz-se serva hospitaleira. Maria, ao querer prestar-Lhe toda a sua atenção, escutando e sentada, torna-se aprendiz e discípula. Com a sua declaração, Jesus não opõe ação e contemplação. Ambas têm a mesma origem (a Palavra de Deus) e a mesma finalidade (o Reino de Deus). Simplesmente alerta Marta por encontrar-se dividida (entre o fazer e o recriminar, entre a dedicação e o lamento). Para fazer bem, requer-se escutar melhor.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, como Marta, quero fazer mais e melhor. A intenção é boa, mas nem sempre acerto na forma. Atarefo-me. Em consequência, deixo-me asfixiar pela azáfama. Outras vezes, são as preocupações a submergirem-me. Não quero desiludir nem tampouco ficar mal. Aflijo-me, desgasto-me e acabo, por fim, a reparar nos outros, a reclamar, a culpar… Reconheço-me dividido, desalentado, amargurado porque incompreendido, injustiçado…
Uma só coisa é necessária. Retirar um tempo para estar a sós conTigo e, de Ti, acolher a Palavra que me recentra no essencial. Ela sossega-me no turbilhão dos dias e ilumina o caminho e a decisão a tomar. Como Marta e Maria não Te vou deixar passar ao largo. Para melhor Te servir (e aos outros), primeiro tenho de aprender de Ti. Escutando.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, a tua Palavra é a “coisa necessária”, a “melhor parte” que nada, nem ninguém me pode tirar. Atento a ti, louvo e contemplo.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- O que valorizo mais no meu dia-a-dia?
- Escuto mais (ou menos) do que falo e faço?
- No centro da minha “casa” (vida) estou eu ou Deus?

UM PENSAMENTO
“As mais belas orações não têm voz.” (Nino Salvaneshi)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de escutar Deus como primeiro afazer.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Desfaço-me em afazeres
sem semear nem colher.
Coração estéril em campo árido,
descentrado e desconcertado,
pré-ocupado, antes do tempo
desconectado, divido por dentro
alegando dar, sem ter recebido,
atuando, sem antes escutar.

Uma só coisa é necessária: SER.
Quero-Te sempre a meu lado,
mas preferes ocupar meu dentro
para aí descobrir-me, recolhido
de coração rendido e redimido
por escolher a melhor parte:
Tu em mim, hospedado
e eu, a teus pés, renascendo.

UMA CANÇÃO
Kim Walker – I surrender

  • Visualizações: 320