VII Domingo Comum (A)

APERFEIÇOADOS PELO AMOR.7 COMUM A

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mt 5, 38-48.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Jesus continua a expor a “nova justiça” do Reino, no fulcral “Sermão da Montanha”. Hoje convida a imitar a perfeição de Deus, ultrapassando os limites humanos do amor.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim as palavras de Jesus?
Jesus dá-me a visão cristã da “Lei e dos Profetas”. Tal como no passado domingo, Ele desafia-me a não repousar em certezas e práticas correntes: “foi dito…, Eu porém digo-vos…”. Rejeita a passividade de quem tem medo. Antes, propõe a ousadia de quem ama. É sempre possível ir mais além, fazer melhor. É o que exige o amor. Este caminho não é para débeis. É para pessoas livres! Só assim, ao jeito de Jesus, serei “filho do Pai que está nos Céus”, única referência de santidade, isto é, de perfeição.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, hoje, pedes-me a perfeição. Sou tentado a interpretar tuas palavras como mera força de expressão, uma retórica para despertar apáticos. Mas os verbos que usas revelam decisão e ação inequívocas: oferece, deixa, acompanha, dá, ama... E, perante um adversário, acrescentas: não resistas, não voltes as costas… Entendo que o bem deva ser feito. E bem feito. Porém, calar-me diante do mal e da injustiça, oferecer a outra face, não será covardia, falta de carácter!? Assim, o mal parece vencer.
Tu, Senhor, conheces o coração humano. Sabes todo o poder que o mal assume em mim se não for quebrada a sua corrente. Não me pedes para ser indiferente e passivo. Bem pelo contrário. Desafias-me à originalidade, a tomar a iniciativa do bem, a não ceder à tentação de vingar o mal, reforçando-o. De vítima, passaria a cúmplice. E não existe pior veneno que uma ferida convertida em ressentimento.
Só o amor cura e liberta. É tudo quanto preciso. Senhor, ajuda-me a aprender de Ti.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, louvo e agradeço tua misericórdia para comigo. És a perfeição do amor em mim, que cura todas as mágoas. Assim Te adoro e comtemplo.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Catalogo os outros em bons e maus, pessoas a amar ou desprezar?
- Perante o mal, a minha reação reforça-o ou desarma-o?
- Que faço para deixar os outros melhores do que são?
- Tomo a iniciativa do bem ou espero ser interpelado?

UM PENSAMENTO
“Para que o mal triunfe basta que os bons não façam nada.” (Edmund Burke)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de ser ativo no bem.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Como poderei eu, imperfeito
assemelhar-me ao Perfeito,
tendo a perfeita imperfeição
por natural essência e feição?

Como calar o mal e sua pegada
se olhos e dentes não cobrar?
Para Ti, Senhor, toda a injustiça
é chão estéril de acorrentados.

O mal, afinal, é um vazio de bem
que clama por recheio de amor,
pedinte de uma outra face, a Tua
na minha, oferecida, aperfeiçoada.

UMA CANÇÃO
For King & Country – The proof of your love

Podcast:

  • Visualizações: 702